Pride

25/04
11:04

Uberlândia tem pré-candidato gay a vereador
Postado por: Redação

1
A A A
Imprimir

Eleições: Leandro Baronny é pré-candidato gay a vereador na cidade de Uberlândia

 

 

Leandro: sempre estive no meio político

Leandro: sempre estive no meio político

Um dos responsáveis pela 1ª Parada do Orgulho LGBT de Uberlândia, o ativista gay Leandro Baronny é pré-candidato a vereador na cidade mineira pelo Partido Republicano Progressista (PRP) e diz que pretende buscar votos no meio GLS, nas nações africanas, no meio da música e entre seus amigos.

Em entrevista ao Mix, ele conta que depois de muito atuar nos bastidores das campanhas eleitorais, decidiu que era hora de colocar seu nome à disposição do partido. “Meu primeiro ato como parlamentar na cidade de Uberlândia será elaborar projetos contra a homofobia e lutar em prol de uma sociedade mais igualitária”, adianta.

É a primeira vez que você se candidata?
Embora ainda não tenha sido homologada a candidatura para as eleições municipais 2012, é sim a primeira vez que coloco meu nome à disposição no partido.

Por que decidiu se candidatar?
Dentre os vários motivos, o principal foi para defender nossa classe, que atualmente enfrenta ainda muito preconceito. Desde que o mundo é mundo, as diferenças sempre existiram e continuarão existindo das maneiras mais diversificadas possíveis, quer em razão da aparência, cor, raça, perfil comportamental, quer pela opção sexual, religião, grau de instrução, condição financeira e muitas outras que poderíamos ainda relacionar. Diante dessa diversidade, assimétricas, também, são as discussões políticas e religiosas relacionadas com a homofobia. minha candidatura tem como base fundamental a busca de maior igualdade para todos.

Os LGBT precisam de representação política, por quê?
A representação política se faz necessária para criar meios de combater a homofobia, meios estes que devem ser efetivados através de projetos culturais, conscientização e também a fiscalização intensa para fazer valer os direitos e garantias fundamentais de todo e qualquer cidadão, independente da sua opção sexual.

Qual sua experiência com a política?
Desde pequeno sempre estive no meio político, como colaborador, apoiador e às vezes ligado diretamente a campanhas eleitorais, para vereador, prefeito e nas legislaturas nos âmbitos estadual e federal. Conheço bem de perto a rotina do Legislativo e do Executivo. Razão esta que me fez querer ser candidato para lutar em prol da minha classe.

O que pretende fazer de mais urgente em Uberlândia se for eleito vereador?
Meu primeiro ato como parlamentar na cidade de Uberlândia será elaborar projetos contra a homofobia e lutar em prol de uma sociedade mais igualitária.

Existem projetos que você quer levar à Câmara? Quais?
Projeto de lei contra a homofobia, projetos de leis sobre cultos africanos, projetos de lei beneficiando bairros mais carentes, também para criação de uma delegacia de intolerância, relacionada a crimes raciais e delitos de intolerância. Tamnbém projeto de lei para a criação de uma delegacia especializada em crimes homofóbicos.

Como é o cenário da diversidade sexual em Uberlândia? A cidade é tolerante?
No ano de 2002, quando tive coragem e estive na frente da primeira Parada do orgulho LGBT de Uberlândia, muitas portas foram fechadas para nós. Razão esta que nos fez realizar o evento com recursos próprios, sem sequer com a ajuda da prefeitura, do governo ou de qualquer entidade. No entanto, o evento foi um sucesso, a expectativa era de no máximo duzentas pessoas, destarte segundo a Polícia Militar, o número de pessoas foi de aproximadamente três mil. Atualmente já estamos na 10ª Parada, no entanto não faço parte mais da organização, mas a média é de 70 mil pessoas entre gays, lésbicas, travestis e pessoas afins.

Um vereador gay poderia ajudar na luta contra o preconceito? Como?
Sim, claro. Através de força dentro da Câmara de vereadores, onde iremos desenvolver projetos em prol da classe, e defendo também outra cadeira no Legislativo para juntos somarmos forças.

Onde você pretende buscar votos? Usando qual estratégia?
No meio GLS, nas nações africanas, no meio da música, empresários que apoiam o meio GLS e amigos.

Você acredita que o LGBT vota no candidato LGBT?
Sim e não. Pois muitos têm medo de assumir a sua opção sexual, talvez seja por medo do preconceito. 

 

 

 

1
A A A
Imprimir

veja mais

1 Comentário(s)

  • Re 12/08/2012 06:08

    virou brincadeia uberlandia ainda bem q rasguei meu titulo

comente

Nome:


E-mail:

(Seu endereço de e-mail não será exibido)
Comentário:

Últimas notícias

mais postagens

Mais lidas

mais postagens

Sexo